Ricardo Martins 3º Dan (Aikido Tradicional)

CREF 00482-P/RJ, Grau Prêto em MuayThai e KickBoxing, Treinador de Boxe, CrossFit – L1 Trainer, Coach especializado em Treinamento Físico Funcional e Pilates

Misogi

Escrito por Hiroshi Ikeda
Traduzido por Jun Akiyama para a Língua Inglesa e editado por Ginger Ikeda
Traduzido por Jaqueline Sá Freire (Instituto Takemussu – Hikari Dojo – Rio de Janeiro)
Revisado por Ricardo Martins
http://www.bujindesign.com/newsletter/2000.04.vol3/training.shtml

Hoje eu e minha esposa saímos cedo do trabalho e fomos para a escola de nosso filho antes do final da aula. Era nossa semana de fazer a limpeza da sala de aula da 4ª e 5ª série. Nesta escola cada família participa pelo menos uma vez no ano da limpeza da sala de aula de seus filhos, fazendo a limpeza (o que é muito encorajado), ou pagando $40 para que a escola contrate alguém para fazer isso (o único zelador da escola). A maioria das famílias escolhe ir fazer a limpeza.

Hiroshi Ikeda Shihan

Nós temos feito isso desde o jardim de infância, e se tornou um ritual do qual gostamos muito. Acho que estar no meio da ação nos faz sentir que fazemos parte da escola, isso nos dá um sentimento de conexão com o lugar em que nosso filho passa várias horas de seu dia. Nós fazemos isso por ele, pelo professor, por seus colegas, fazendo uma pequena contribuição para manter o mundo deles limpo, em ordem e agradável. De uma maneira simbólica, estamos recompensando seu professor, a quem ele adora (e nós também) por ter uma influência tão positiva em sua vida.

Então dizemos “olá” para os outros pais e vamos ao armário do zelador, pegamos um aspirador de pó e uns sacos de limpeza e vamos para a sala de aula de Jill. É claro que nosso filho preferiria passar o tempo no laboratório de computação enquanto nós limpamos as mesas e tiramos manchas dos teclados, mas ele se junta a nós por tempo suficiente para limpar o quadro negro guardar o aspirador de pó. Além disso, ele nos lembra que “faz seu trabalho” todos os dias. Isto é, as tarefas que as crianças fazem em turnos antes de ir para casa, pequenas coisas como alimentar o porquinho da índia, limpar em baixo das mesas, guardar as cadeiras e suprimentos.

American Football

Eu descobri que esta escola é uma exceção neste caso. Isso me surpreende, porque em todas as escolas que freqüentei no Japão, as crianças não limpavam apenas suas salas de aula, mas também os corredores e áreas comunitárias. Nós limpávamos e lavávamos as janelas. Isso não era uma punição, de forma alguma; era o que tínhamos que fazer, e tínhamos orgulho de trabalharmos juntos para cuidar de nosso espaço. Acho que não pensávamos nisso, mas estávamos aprendendo sobre responsabilidade, respeito, realizações e cooperação.

Como a sala de aula, o dojo é um lugar importante – muitos diriam que talvez seja ainda mais importante que uma sala de aula, porque no dojo nosso trabalho é refinar habilidades que podem nos colocar no limite entre a vida e a morte.

Baseball

Acredito que muitas pessoas hoje em dia confundem o dojo com algum tipo de centro de recreação. Mas diferentemente de um centro esportivo para levantamento de peso ou um ginásio para a prática de esportes, um dojo de artes marciais abriga o kami (deus) do budo. Isso quer dizer que em um dojo, o espírito do bushido, ou uma lei de conduta, permeia o treinamento. Quando um dojo perde isso, sofre as conseqüências. Acredito que isso é o espírito do budo – este refinado sentimento de respeito – o que distingue um dojo, e é o que levamos em nós para nosso comportamento perante a sociedade.

O próprio ato de cuidar do dojo nos permite manifestar fisicamente o processo de purificação de nossos espíritos. Da mesma forma, as pessoas entram no dojo e deixam suas preocupações lá fora, o próprio dojo deve refletir a postura mental pura de seus ocupantes, para que os alunos possam se mover com segurança e liberdade no futuro pelo caminho do budo.

Infelizmente, às vezes vejo que alguns alunos consideram que o treinamento não tem nada a ver com este simples ato de cuidado. O espírito do dojo reflete a forma com que cada individuo encara seu treinamento, e isto inclui a forma como ele ou ela trata o próprio dojo. Acredito que uma pessoa que treina em um dojo deveria considerar que este espaço é, de alguma maneira, uma manifestação deles próprios, e deveriam encarar sua purificação da mesma forma que fariam a purificação e a renovação de seus próprios espíritos.

Basketball

Através da história e das culturas, o ato de limpeza e purificação tem sido um gesto tanto prático quanto simbólico de grande significado. No Japão, este tipo de purificação ritual ou “misogi” é uma parte integral e muito importante da vida diária. Por exemplo, no final de dezembro, quase todas as pessoas em toda a nação cooperam dentro de suas famílias, escolas, companhias e dojos para limpar os lugares em que se reúnem. Ao fazerem isso, são capazes de receber o novo ano com seus ambientes purificados, bem como com suas almas purificadas. Outros rituais de misogi podem incluir a purificação do local da construção de um edifício antes que a obra comece. Antes de cada luta de sumo, o esporte nacional Japonês, os lutadores purificam o ringue aonde irão competir jogando sal sobre ele.

Sumo

Parece um paradoxo que atos simples e mundanos possam ter o poder de transformar, mas este fato tem ressurgido repetidamente através dos tempos. Se polirmos o espírito, talvez um dia o espelho esteja imaculado, e então veremos nosso verdadeiro reflexo.

http://www.bujindesign.com/newsletter/2000.04.vol3/training.shtml

  • Comments Off
  • Filed under: Bu Jin Design
  • Polindo o espelho, quebrando pedras…

    Monte Fuji 1

    Polindo o espelho, quebrando pedras…
    Trad. Jaqueline Sá Freire (Hikari Dojo- Instituto Takemussu – Rio de Janeiro)
    http://hikari1.multiply.com/journal/item/1/Polindo_o_espelho_quebrando_pedras

    Há vários anos eu passei por uma cirurgia grande, relacionada a uma doença crônica. Tive que tomar medicamentos que me fizeram ganhar 50 lbs de peso em dois meses. Meu corpo não respondia a comandos normais. Fiquei severamente deprimido, pronto a desistir da vida. Meus alunos, alguns dos quais eram mais velhos que eu, compreenderam o perigo, e se juntaram para me dar uma passagem de avião para um seminário que estava sendo dado por meu sensei. Eles me levaram para a outra cidade e para o Dojo (um deles ficou comigo durante o vôo). Alguém me ajudou a me vestir e me levou ao tatame. Eu escutei e observei enquanto o sensei ensinava.

    Por várias vezes, jovens aikidocas se aproximaram e me convidaram para treinar, mas eu educadamente recusava. E por várias vezes ouvi pessoas falando sobre mim. “Se ele não quer treinar”- eles diziam – “ele deveria sair do tatame. Quem esse cara pensa que é?” No final do seminário eu só conseguia sorrir dessas palavras. Eu sabia porque estava lá, e sabia o quanto ganhei.

    Yamashita – Paciência

    Compaixão, amor e compreensão nos ajudam muito, especialmente se não sabemos o que está acontecendo a nossa volta. A qualquer momento, sem saber, podemos estar presenciando uma luta de vida ou morte. Nestes momentos, uma palavra gentil, um toque ou um sinal de compaixão podem ser a manifestação do valor marcial que é a chave da vitória de algumas pessoas.

    Tendo em vista a condição física, alguns de nós podem estar treinando ou “no vale” ou “na montanha”. Não temos o luxo de treinar em um platô.

    Oficina de Lapidação

    Estamos no vale quando estamos com o físico em um nível baixo, quando não temos os atributos físicos necessários para o treinamento vigoroso definido pelo praticante de artes marciais “normal”. Quando estamos no vale, podemos não ser capazes de fazer sobre o tatame o que outros fazem, mas ainda podemos “polir o espelho” trabalhando nossa natureza interior.

    Às vezes o professor preparará uma aula para dar ao aluno a oportunidade de polir o espelho. Por exemplo, o professor pode enfocar os detalhes do ataque – a postura, a extensão da energia, como manter o centro. Ou o professor pode focalizar detalhes da técnica, instruindo os alunos a usar a velocidade dentro do possível para manter a maneira correta dentro da habilidade física de cada um. Estudando ataque e defesa desta maneira, podemos aprender a técnica correta. Podemos começa a polir o espelho do Aikido dentro de nós. Podemos trabalhar na exatidão da técnica até que a realidade da técnica seja refletida em nossos corações e corpos, em nossos movimentos, e na harmonia dos relacionamentos com nossos parceiros.

    Ensinar jovens leões a rugirem

    Com freqüência, quando os professores ensinam dessa maneira, eu ouço os jovens leões rugirem. “Não é um treinamento realista!” eles dizem. Mas ao mesmo tempo, vejo alguns antigos guerreiros se iluminando e tendo a oportunidade de polirem o espelho. Este tipo de treinamento ajudou alguns de nós a atravessar o vale, ajudando a preparar o corpo, mente e espírito para a subida de volta à montanha.

    Aiki Stone: A Pedra do Aikido

    No vale, polimos o espelho, mas na montanha, quebramos a pedra – quebramos as pontas ásperas dos egos que ficam como pedras pontudas no centro de nosso ser, causando dor. Quebrar a pedra é trabalhar duro e rápido com nossas mentes fixadas na tarefa que se apresenta.

    Podemos quebrar a pedra com segurança, desde que tenhamos passado tempo suficiente polindo o espelho. Como uke e nage, trabalhamos juntos tirando as pontas ásperas. Eu me dou a você e você se dá a mim em total confiança. Eu lhe ajudo neste processo, você me ajuda, e ambos nos tornamos menos ásperos, mais felizes e melhores pelo esforço.

    Continuamos a praticar polir o espelho e quebrar a pedra até que o espelho de nosso espírito seja um reflexo perfeito da verdadeira natureza, e a superfície da pedra esteja lisa como o espelho. Só então estamos em harmonia com nós mesmos e com o ambiente.

    Bonsai – Jóias Raras

    Então não se aborreça se a prática é dura e rápida, ou se é lenta e exata. Quando a prática parece errada e desconfortável, lembre-se que todos os tipos de treinamento têm uma razão de ser, e se pergunte qual é o verdadeiro valor deste treinamento.

    Algumas pessoas que tem muita força física apenas quebram a pedra. Eles se esquecem de polir o espelho, ou não vêem utilidade nisso. Outros apenas dão polimento no espelho, e não consideram importante quebrar a pedra. Eu digo que se deve polir e quebrar com toda a sua energia. Depois você pode perder a capacidade física para quebrar ou a paciência espiritual para polir.

    Lapidador em sua Oficina

    Se pessoas com problemas físicos chegam ao dojo, não pense que eles são menos hábeis que os outros alunos. Você pode descobrir que eles têm na verdade muita força e espírito.Eu tive alunos que não tinham membros e alunos com diversas doenças. Pela minha experiência, apesar deles poderem apenas aprender poucas técnicas, eles entendiam realmente o valor do que aprendiam. Eles compreendem o conceito de polir o espelho e quebrar a pedra, e sabem quando fazer cada uma destas coisas.

    Pedra lapidada

    Um amigo meu que é professor de Karate tem um tornozelo artificial e pinos de aço no lugar de ossos da perna. Seu joelho tem cicatrizes da cirurgia. Quando o vejo na aula de Aikido sentado em seiza, eu sei que ele paga um preço muito mais alto que os outros alunos no tatame. Como muitos que encontramos no tatame de Aikido hoje, ele passou a juventude quebrando a pedra. Hoje, com humildade, usando a faixa branca, ele vem ao treino de Aikido para polir o espelho. Então eu aviso aos jovens leões que demonstram intolerância com os que não são tão ágeis ou atléticos: quando você pensar que está treinando com um parceiro ruim, você pode de fato ter um guerreiro na sua frente.

    Trabalhando com Ouro

    Professores: se vocês se interessam, aceitem o desafio de ensinar estas pessoas excepcionais. Pelo que eu entendo, O’Sensei desenvolveu o Aikido para todos, não apenas para que são fisicamente corretos.

    http://hikari1.multiply.com/journal/item/1/Polindo_o_espelho_quebrando_pedras

  • Comments Off
  • Filed under: Informações Relevantes
  • Lembre-se:

    "A aceitação da dor é o primeiro passo para suportá-la, caso contrário, o pessimismo, a impaciência e a intolerância, poderá transformá-la num fardo alem de suas forças." Ivan Teorilang

    Frase do Dia:

    Está se sentindo desorientado (seu "aiki" não está rolando), não sabe o caminho (DO) que deve seguir, tem problemas existenciais, precisa de aconselhamento. Percebe que uma "intervenção", no seu caso, é necessária porque já identifica problemas somáticos, psíquicos ou psicossomáticos.
    Não procure uma arte marcial, yoga ou atividade física. Nenhum "sensei", nenhum "shihan" por mais "graduado", experiente, maduro e inteligente que esta "divindade" seja vai te ajudar. Filiações não funcionarão, tampouco... Não perca seu tempo com guru, sensei, shidoin, shihan, Krus, do, jutsu etc... Você precisa de um profissional competente e devidamente habilitado para te ajudar no restabelecimento de seu bem-estar e de sua saúde.

    Arquivos:

    Posts mais recentes:

    Recent Trackbacks:

    Categorias:

    Caro(a) Colaborador(a):

    Sugestões inteligentes, críticas edificantes serão sempre muito bem vindas.

    Entenda, por favor, que todo ser humano comete erros e se engana apesar dos cuidados tomados e de todas as revisões feitas antes da publicação.

    Ao encontrá-los, não se acanhe, entre em contato para que possamos melhorar os serviços, por gentileza.

    Muito obrigado

    Ricardo Martins
    sensei@ricardomartins.pro.br